Tratamento da Dependência Química e Alcoolismo

Programa 12 Passos

Os Doze Passos

O Programa de “Doze Passos” é um conjunto de princípios espirituais que vêem ajudando milhares de pessoas a se recuperar por todo o mundo. Tem sua origem em AA (Alcoólicos Anônimos) fundada em 10 de Junho de 1935 por William Griffith Wilson (Bill W.) e pelo Dr. Robert Holbrook Smith (Dr. Bob). Wilson teve a idéia de fundar o AA enquanto estava hospitalizado por beber em excesso, em dezembro de 1934. Durante sua estadia no hospital, passou por uma experiência espiritual que acabou com seu desejo de beber, passando a persuadir outros alcoólatras a parar de beber, exatamente como ele parara. Encontrou seu primeiro “prosélito” em Smith que se dispôs a seguir o método de Wilson para se libertar do alcoolismo. Quatro anos mais tarde, publicaram o primeiro livro Alcoholics Anonymous, que contém os Doze Passos e um programa de base espiritual para a recuperação do alcoolismo.


A NA (Narcóticos Anônimos) formou-se em julho de 1953, com a primeira reunião no sul da Califórnia e adotando os mesmos princípios de AA quando em 1962 foi publicado o livreto branco, Narcotics Anonymous. Em 1972 o NA demonstrou sua maturidade quando foi aberto um escritório Mundial de Serviço (WSO-World Service Office). O WSO trouxe a unidade necessária e um senso de propósito para a Irmandade, estabilizando seu crescimento e se tornando uma Irmandade mundialmente reconhecida. Dezenas de milhares de pessoas em todo o mundo passaram a trabalhar juntos, catalogando, editando, montando, desmembrando e remontando este material que hoje é utilizado mundialmente, procurando conscientemente assegurar um texto de “consciência de grupo”.


Estes passos possibilitam que, através do trabalho interior, possamos encontrar um poder maior do que nós, e do que o álcool ou as drogas. Sendo assim, desejamos que venha ter um despertar espiritual, ou seja, um toque de Deus, um renascimento. Tendo tido esta conversão, começamos a nos trabalhar duramente, sem piedade. Fazemos um minucioso e destemido inventário de nós mesmos e admitimos diante de Deus, de nós mesmos e dos outros a natureza exata de nossas falhas. Não pomos a culpa nos outros. Acusamos a nós mesmos.


Agora estamos prontos para deixar Deus fazer seu trabalho em nós e humildemente lhe pedimos que retire de nós nossas imperfeições.


Atividades de Prevenção: Seguindo o cronograma de atividades da casa, promovemos reuniões de PPR (Programa de Prevenção à recaída), TRE (Terapia Reacional Emotiva), Vídeo Terapia, Rei Bebê, Aconselhamento Individual, Encontro Espiritual Ecumênico e reinserção familiar dentre dos requisitos do programa;


Tendo terminado conosco, começamos a fazer reparações para com os outros. Examinamos nossas vidas e verificamos a quem ofendemos, vamos até eles pedir perdão e fazer reparações materiais e continuamos a fazer esse inventário e essa vida de reparação numa base diária e contínua para todo o sempre.


Sabemos que somos fracos e, por isso, continuamos a orar e meditar, procurando apenas a vontade de Deus em nós, além de sinceramente pedir a Deus que nos dê forças para fazer apenas a vontade dele.


SÓ POR HOJE, VOCÊ NÃO MAIS PRECISA USAR!


Os Doze Passos

1º - Admitimos que éramos impotentes perante a nossa à dicção, que nossas vidas tinham se tornado incontroláveis;


2º - Viemos acreditar que um poder maior que o nós poderia nos devolver-nos a sanidade;


3º - Decidimos entregar nossa vontade e nossas vidas aos cuidados de Deus, da maneira como nós O compreendíamos;


4º - Fizemos um profundo e destemido inventário moral de nós mesmos;


5º - Admitimos a Deus, a nós mesmos e a outro ser humano a natureza exata das nossas falhas;


6º - Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter;


7º - Humildemente pedimos a Ele que removesse nossos defeitos;


8º - Fizemos uma lista de todas as pessoas que tínhamos prejudicado, e dispusemo-nos a fazer as reparações a todas elas;


9º - Fizemos reparações diretas a tais pessoas, sempre que possível, exceto quando fazê-lo pudesse prejudicá-las ou a outras;


10º - Continuamos fazendo o inventário pessoal e, quando estávamos errados, nós o admitíamos prontamente;


11º - Procuramos através de prece e meditação, melhorar o nosso contato consciente com Deus, da maneira como nós O compreendíamos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós, e o poder de realizar essa vontade;


12º - Tendo experimentado um despertar espiritual, como resultado destes passos, procuramos levar esta mensagem a outros adictos e praticar estes princípios em todas as atividades.


Enviar Mensagem